Oficina

Teatro da Neura

O Teatro da Neura oferece a sua oficina em dois horários disponíveis com duração de 10 meses

turma da manhã

10h as 13h

turma da tarde

13h30 as 16h30

sábado

As oficinas do Teatro da Neura tem como objetivo principal a troca de experiências na prática teatral.

 

Seja para fortalecer seus laços com o teatro ou para passar pela primeira vez pela vivência cênica, a oficina é preparada para que cada um seja estimulado em toda sua potência criativa em torno de tudo que envolve a prática artística.

Sendo assim os aprendizes ao frequentarem as aulas passam pelo contato direto com o Espaço N de Arte e Cultura (sede do Teatro da Neura) que possui estrutura para a melhor qualidade das aulas além de abrigar várias atividades entre apresentações teatrais, festas temáticas, debates e formações exclusivas.

Durante o ano todos terão noções básicas de Interpretação, Expressão Corporal, História do Teatro, Cenografia, Figurino, Maquiagem, Produção de Espetáculos e outras áreas.

Ao fim do ano é oferecida ao público uma peça teatral como forma de finalização do processo de aprendizagem.

Abaixo as montagens já realizadas pelas nossas oficinas:

E Não Vos Deixeis Cair em Tentação

(2004 - 2014)

A partir de uma oficina que começou em agosto de 2013, com uma carga horária intensa, o grupo que se formou já sabia que seria preparado para a remontagem desse espetáculo que foi a peça de estreia do então grupo em formação "Teatro da Neura". Foi uma apresentação comemorativa dos 10 anos do grupo numa remontagem para os alunos dessa primeira oficina.

 

Na oficina o elenco teve a oportunidade de conhecer  a história de vários grupos da cidade – contada por seus representantes – além da história do próprio Teatro da Neura e da importância da montagem dentro da programação do Neurofobia.

Sinopse

A partir de histórias ouvidas em reuniões de família, pontos de ônibus, casal no banco de trás do trem ou em fila de banco,

 

“E Não Vos Deixeis Cair em Tentação” torna público aquilo que é privado. Pequenas histórias que buscam revelar esses pequenos paraísos que tentamos deixar quietos como segredos que ninguém pode tocar.

 

Tendo como inspiração as formas de comunicação que Arthur Bispo do Rosário fazia para se aproximar de Deus, a montagem vai tentar redimir as nossas tentativas de esconder aquilo que não precisa mais ser escondido.

Ficha técnica 

Texto: Antônio Nicodemo

Elenco: Ana Carolina, Camila Ribeiro, Cauê Drumond,

Doris Thalassa, Fox Araujo, Giovani Biancolin,

Michel Galiotto, Peterson Queiroz.

 

Orientação em Cenografia e Figurino: Amabile Luz

Maquiagem: André Antero

Preparação Corporal: Ligia Berber

Iluminação: Carlos Rei e Fernandes Junior

Comunicação: Pedro Leão e Ana Carolina

Trilha sonora: Pedro Zanelli e Camila Ribeiro

Assistência de Direção: Ligia Berber

Direção Geral: Fernandes Junior

Jogos na hora da sesta

(2015)

A finalização da 2ª turma do Curso Livre de Teatro oferecido pelo Teatro da Neura vem com o texto da polonesa naturalizada argentina Roma Mahieu.

Na história, num parque de diversões, crianças brincam e aos poucos as influências que obtém do mundo dos adultos é transposto de forma crua e direta sem reflexões ou noção de culpa.

 

Numa sociedade altamente competitiva, a luta pelo poder acaba por se refletir no meio infantil. A praça passa a ser um território estabelecido, onde os mais fortes mandarão, não segundo preceitos próprios, mas baseados no que julgam ser a filosofia de vida dos pais. O conflito entre Andrés - prepotente, carente de afeto, insensível e inculto - e Susana - marginalizada, sensível, mas também carente do mesmo afeto - pode transformar a vida de todos os que brincam.

Antes de ser brincadeira de criança a peça coloca no colo de toda a sociedade a responsabilidade por seus atos que, no mundo atual está cada vez mais brutal, violento e com a nítida noção de perda de rumo.

 

Ficha técnica 

Texto: Roma Mahieu

Direção Geral: Fernandes Junior

Elenco: Bianca Alves, Danilo Cruz, Pedro Zanelli

 

Orientação em Cenografia e Figurino: Amabile Luz

Maquiagem: André Antero

Preparação Corporal: Ligia Berber

Iluminação: Fernandes Junior

Comunicação: Pedro Leão

Fotos: Ligia Berber e Michel Galiotto

Estreou dias 28 e 29 de novembro de 2015 as 20h
 

Viúva, Porem honesta

(2016)

O espetáculo conta a história de Ivonete, que, depois da morte do marido, resolve virar mulher “honesta”, mantendo-se fiel ao finado. Uma das estranhas decisões de sua nova conduta é nunca mais sentar. Muito preocupado, o pai da jovem convoca conceituados especialistas para solucionar o problema da filha - o psicanalista, o otorrino, a ex-cocote e até o diabo.

Texto: Nelson Rodrigues

Adaptação: Antonio Nicodemo

Direção: Cibele Zuchi

Assistência de Direção: Conceni Paulina

ElencoAgnes Nabiça, Andréia Viçoso, Bianca Alves, Fabiano Avelino, Flávia Gonçalves, Gilson Peres, Isabela Mesquita, Lua Castro, Mari Flor e Nickole Kowaltschuk

ProduçãoAgnes Nabiça, Flávia Gonçalves e Gilson Peres

Preparação Vocal: Lucas Cavalcante

Preparação Corporal: Ligia Berber

Maquiagem: André Antero

Fotos: Giulia Martins


IluminaçãoCarlos Rei

Sonoplastia: Conceni Paulina

CenárioCibele Zuchi e Conceni Paulina

FigurinoElenco

Voz em Off: Antonio Nicodemo

Assessoria de Imprensa: Gabriela Pasquale

Apresentação dias 02, 03 e 04 de dezembro de 2016

Burundanga

(2017)

A peça é uma adaptação que conta as aventuras e desventuras de Mathias Cão e João Teité, dois malandros que disfarçados de militares, causam uma grande confusão em uma cidadezinha de interior, onde todos acreditam que eles são líderes de uma revolução.
Tem coronel que quer a volta da monarquia, família em busca de herança, políticos corruptos, e muitos outros oportunistas que só aumentam toda essa comédia.

Texto:

Luis Alberto de Abreu


Direção:

Cibele Zuchi


Assistente de direção:

Conceni Paulina

Elenco

Júlia Gomes,Lavínia Menezes, Lety Lua, Mayara Cruz,Mariah Aprili, Matheus Ibanez, Thayná Bentes e Tom Andrade.

Cenário:

Cibele Zuchi, Conceni Paulina e Gilson Peres

Sonoplastia:

Conceni Paulina.

Iluminação: Camila Ribeiro, Fernandes Junior e Galiotto Michel

Maquiagem: André Antero

Figurino: Thaís Fernandes

Preparação vocal: Lucas Cavalcante

Preparação corporal: Lígia Berber

Fotos: Michel Galiotto

Apresentação dias 1, 2 e 3 de setembro de 2017 

tapera. casa de branca. senzala e algumas maldições

do tempo de santa cruz

(2017)

O processo em Realismo Fantástico, iniciado dia 28 de janeiro de 2017 a partir das xilogravuras do artista armorial Gilvan Samico, marca uma nova etapa na trajetória da pesquisa do Teatro da Neura dentro da linguagem.


Os atores, servidos de sua 'arqueografia pessoal', construíram coletivamente a história de Pilar, única na família que nasceu de noite e que carrega nos seus 16 anos uma imensa curiosidade de conhecer o céu.


O espetáculo mostra o inicio de uma civilização cercada de mitos, maldições e personagens fantásticos.
Uma delas, Cavalo Branco, um homem que de tanta beleza encanta as mulheres que se prendem fadadas a ama-lo para o resto dos seus dias.


O imaginário de Pilar, consumido e alimentado através de historias e livros dados por sua melhor amiga, Maria Tira Gosto, provoca no publico uma visita ao passado e a nossa tradição e herança cultural dentro das três matrizes que fundaram nosso país.
Um lugar onde peixes moram em nuvens e pra sair de casa nunca precisou calçar sapatos.


Os rituais indígenas e a 'estética da fé' também fazem parte da concepção dessa nova fase de estudos dentro da linguagem que depois de onze meses em sala de criação com os alunos do segundo módulo da oficina do grupo, dão a luz a mais um espetáculo.

'Espetáculo criado a partir da arqueografia pessoal'

Elenco: Agnes Nabiça, Amanda Alves, Andréia Viçoso, 

Bianca Alves, Flávia Gonçalves, Gilson Peres, Isabela Mesquita,
Lua Castro, Matheus Ibañez, Mari Flor, Nickole Kowaltschuk

Dramaturgia e Direção: Antônio Lagreca Nicodemo

Direção de Movimento: Lígia Berber

Direção Musical: Cauê Drumond

Cenário: Flávia Gonçalves e Gilson Peres

Figurinos: Thaís Fernandes

Maquiagem: André Antero

Desenho de Luz: Fernandes Junior

 

Fotos: Michel Galiotto

Assessoria de Imprensa: Gabriela Pasquale

 

Apresentados dias 01, 02 e 03 de dezembro de 2017

Mãe coragem e seus filhos

(2018)

Adaptada para a “Oficina de Teatro e Sociedade” do Teatro da Neura, o espetáculo retrata um presente muito comum nas comunidades mais periféricas do Brasil.

Mas também alerta para um futuro próximo tendo a violência urbana como uma rotina cruel e legitimada pelo Estado Brasileiro cada vez mais tomado por militares no poder que historicamente “miram” seus fuzis na cabeça do povo pobre sejam eles portando guarda chuvas ou voltando da escola.

É nesse contexto que Anna Fierling, na luta de levar a vida diante de um quadro de horror vendendo bugigangas numa barraca, tenta, em meio a muitas dificuldades, proteger sem sucesso seus filhos da barbárie cada vez mais próxima.

Autor

Bertolt Brecht

Adaptação e Direção Geral

Fernandes Junior

Assistência de Direção

Cauê Drumond

Elenco

Amanda Alves, Andreia Viçoso, Cleber Batista, Gabriel Bodezan, Gilson Peres, Mari Flor, Vitor Marini, William Azevedo

Figurino

Thais Fernandes

Maquiagem

André Antero

Direção Musical

Cauê Drumond

Cenografia

Coletivo Revitalize 

Arte

William Azevedo

Fotos

Michel Galiotto

 

Assessoria de Imprensa

Vinicius Amaral

Apresentados dias 30 de novembro, 01 e 02 de dezembro de 2018

Dália. Daliléia. e as sete tias.

a festa do cabelo

2018

as marquesas

2019

Livremente inspirado em "As Três Velhas" do autor chileno Alejandro Jodorowsky, escrito em 2003.

 

O melodrama "As Marquesas" aborda de forma simbólica o riso, o desforme e o poético em uma dança com as palavras. Oscilamos entre consciente e inconsciente ao propor entre lugares que habitam luz e sombra e, consequentemente, revelam a psique contraditória do ser humano.


Uma casa composta por duas marquesas de 88 anos e uma criada centenária que vivem a miséria deixada pelo seu pai, o Conde Bulhões da Cruz. Habitam uma mansão arruinada consumida pela ausência de fartura e afeto, onde apenas a ilusão é posta à mesa como alimento.


O espetáculo acontece apenas em um final de semana de novembro e convida aos interessados (e maiores de 16 anos) para ouvir uma história ilusoriamente real.

El problema es pequeno
la solución és enorme
Única verdad
la verdad de la ilusion
No hay autenticidad
sin fidelidade.
Alejandro Jodorowsky



Ficha Técnica

Elenco
Amanda Alves
Andreia Viçoso
Flávia Gonçalves

Direção
Carolina Portella

Direção Musical
Cauê Drumond

Músicos
Andressa Forente, Cauê Drumond e Eduardo Caetano

Maquiagem
André Antero

Figurino
Costura Cida Gonçalves / Concepção Érika Grizendi e turma

Cenografia e arte gráfica
Flávia Gonçalves

 

Fotografia

Michel Galiotto

Texto
Alejandro Jodorowsky e grupo

Ópera do Malandro

2019

Adaptada para a “Oficina de Teatro e Sociedade” do Teatro da Neura, nessa ópera não existe herói possível.

Se na década de 70 – quando este espetáculo foi encenado pela primeira vez – o Brasil era entendido como uma potência importante e um pungente crescimento econômico, hoje essa malandragem sobrevive no limite.

É todo mundo se servindo de todo mundo e parece ninguém ser confiável. Assim vai-se construindo essa história que parece não ter fim.

Assim, no caos em que estamos expostos, classe média, malandragem e putas de tudo quanto é canto seguem rumo ao abismo enquanto as ruas pedem justiça, amor e um país de volta.

Direção: Fernandes Junior

Elenco
Alexandra Ibañez
Beatriz Tafine
Carol Martins
Fabiano Luna
Felipe Sousa
Lucas Sato
Yuri Mainente
Thiiago Ibañez
Tom Andrade

Direção Musical: Cauê Drumond
Maquiagem: André Antero

Fotografia: Michel Galiotto

© 2014 por Fernandes Junior / Instituto N de Arte e Cultura.

  • w-facebook
  • Instagram Limpa
Tapera. Casa de Branca. Senzala 2017