SOBRE

O Teatro da Neura inicia suas atividades em 2004 no município de Suzano. Sua primeira montagem foi com texto escrito pelo integrante do próprio elenco com a peça  “E Não Vos Deixeis Cair em Tentação” (2004).

A partir daí, inicia um processo ininterrupto de produção e formação artística que passa por montagens teatrais, debates, palestras e atividades de legitimação dos direitos civis. O grupo busca aproximar a população da arte e estimular o hábito de frequentar atividades culturais.

Em 2021 completará 17 anos de trabalhos ininterruptos tendo estreado no decorrer de sua trajetória 22 espetáculos, mais de 40 leituras dramáticas encenadas e ainda manteve sua sede independente, o Espaço N de Arte e Cultura, que sem nenhum apoio do órgão público municipal, estadual ou federal manteve-se atuante durante 5 anos no bairro do Jardim Imperador.

Em suas montagens o grupo trabalha em 3 linhas de pesquisa diferentes:

- Realismo Fantástico

- Teatro Sociedade

- Estudos Rodriguianos

Cada linguagem lida com uma direção estética específica, assim como, com estudos ligados a experimentação cênica em pauta.

Já com o Sexta que Lá Vem História, projeto que consiste na experiência cênica de ensaiar, montar e apresentar textos de domínio público com poucos encontros, realizamos distintas leituras dramáticas encenadas. As produções são de rápida (e barata) execução, visam tornar popular autores pouco montados ou conhecidos, além de aproximar outras estéticas à textos clássicos, desafiando então os envolvides à ler encenando a montagem escolhida.

Para além de sua atuação frente as produções artísticas, atuou também sempre na luta para melhores condições das políticas públicas. Já em 2009 participa da 1º Conferência Municipal de Cultura de Suzano e teve membro na II Conferência Estadual de Cultura que aconteceu no Memorial da América Latina.

 

Tivemos a honra de sermos convidados pelo Governo de São Paulo a participar da Virada Cultural Paulista em Araraquara. Fomos também convidados pelo Ministério da Cultura a inaugurar o Teatro da FUNARTE em BH com o espetáculo “Antígona” de Sófocles.

Em 2011, ainda na busca pela profissionalização dos trabalhos e da ampliação das áreas de atuação, funda-se o Instituto N de Arte e Cultura (INAC). Em 2013, junto à outros coletivos culturais, administra a Casa da Coruja que por 1 ano, promoveu festas, eventos culturais, formações artísticas e cidadãs. Em 2015, o Teatro da Neura decide abrir sua própria sede – alugada – para colaborar na formação de público e fomentar atividades frequentes, estamos falando do Espaço N de Arte e Cultura.

Por ocasião da pandemia mundial do Covid-19, o Espaço N fechar as portas em maio de 2020, mas o grupo continua atuante nas redes sociais e se reinventando virtualmente.

Atualmente compõe o Conselho Municipal de Cultura de Suzano e foi uma das instituições responsáveis  pela aplicação da Lei Aldir Blanc nº 14.017 no município de Suzano. Em 2010 foi participante também das atualizações de leis atrasadas que a regiam a cidade, tendo um dos membros como delegado na II Conferência Nacional de Cultura que aconteceu em Brasilia em março daquele ano.

Prêmios e editais

2018 - É contemplado com o PROAC de Circulação com o espetáculo "O Menino Gigante" para circular em algumas cidades do interior e litoral paulista.

2017 – É contemplado com o PROAC de Circulação Infantil com o espetáculo “A Menina da Cabeça de Bola”para circular em cidades com o menor IDH do Estado de São Paulo.

2014 – Ganha o Prêmio Artes da Rua da FUNARTE com a peça “A Menina da Cabeça de Bola” e circula pelas cidades do Alto Tietê que não possui centros culturais públicos.

2013 - Produz a 9ª Mostra de Referências Teatrais de Suzano com o patrocínio da Petrobrás.

2012 – Contemplado com o edital PROAC de produção e circulação de espetáculo com a peça “o Velório” onde circulou por cidades do Interior e Litoral de SP.

2011 - Foi contemplado no edital “Ensaiando um País Melhor” com o espetáculo “A Menina da Cabeça de Bola”

2010 - Prêmio Interações Estéticas – MinC – com o espetáculo Antígona de Sófocles e na ocasião foi convidado para inaugurar a FUNARTE de BH.