1/3

Vidros

2008

Numa cidade não tão distante daqui, Marias e Josés levam uma vida comum e perfeita.

Tudo continua normal, exatamente como tem que ser. O enquadramento nas regras estabelecidas pelo sistema é a única forma de não ser notado e a manutenção da aparência o único recurso para a sobrevivência, alguma semelhança nisso?

 

A chegada de uma criança diferente faz a cidade, pela primeira vez, pensar nos porquês e temer as conseqüências do novo, numa metáfora de como a nossa sociedade lida com as opções não convencionais.

 

Para que fique ainda mais evidente a semelhança entre a cidade de Vidros e a sociedade fora dos limites do teatro, o público é colocado dentro da cidade-cenário, numa espécie de arena invertida. É dos bancos da Praça Central que o público assiste à vida nessa cidade em constante movimento, já que o elenco está todo o tempo em cena.

Fazemos parte dessa cidade, estamos em cada detalhe, ação, olhares...

E já que o costume de casa vai a praça, por que não a cena?

 

Data da Estreia: 07 de Junho de 2008

 

Blog: www.cidadevidros.blogspot.com.br

 

 

Ficha Técnica:

 

Baseado no Conto de

Marco Aurélio Maida

 

Dramaturgia

Antônio Nicodemo

Tuane Vieira

 

Direção

Fernandes Jr.

Assistência de Direção
Akemi Mitsueda

Técnica 
Brendo Lima

Cenário
Teatro da Neura

Figurino e caracterização
Jeff Rodrigues

Arte Final 
Horn Lima

 

Elenco

Ailton Barros

Amabile Luz

André Antero

Antônio Nicodemo

Carlos Rei

Cibele Zuchi

Cris Plácido

Edu Dias

Esther Marcondes

Fernanda Gomes

Jeff Rodrigues

Ligia Berber

Rui Longo

Tuane Vieira

 

 

 

© 2014 por Fernandes Junior / Instituto N de Arte e Cultura.

  • w-facebook
  • Instagram Limpa